quinta-feira, 14 de maio de 2015

Notas para o Bordelando – Encontro de 11/05/2015


Imaginem mantas de vários tamanhos e de todas as cores, emendadas para se tornar uma manta maior, que possa envolver e aquecer uma criança vivendo num abrigo à espera de adoção, e que não apenas ganhará a manta, mas verá nela o seu nome bordado, e poderá levá-la aonde quer que vá, quando encontrar uma família disposta a adotá-la.



Imaginou? Essa é uma das iniciativas que o Bordelando começou a por em prática há 12 anos numa parceria de sucesso com a ONG Aconchego, ligada ao Ministério da Justiça. Imaginem quantas mantas já entregamos nesse período!


Outra boa iniciativa: o passeio a Goiás Velho na primeira quinzena de outubro. Agora já sabemos. O ônibus sairá numa sexta-feira de manhã e voltará a Brasília no domingo à tarde. O preço por pessoa, se duas pessoas compartilharem um apartamento, é de R$ 550,00, dividido em 3 vezes. Esse valor pode diminuir se 3 amigas ocuparem o mesmo AP.   Você quer ir conosco? Venha fazer logo sua reserva, para podermos prever o número de bordadeiras interessadas.


Enquanto isso... a bordação continua a todo vapor para a exposição que acontecerá em setembro. Apareça! Venha por a conversa em dia, sair da dieta por 15 minutos e saborear nosso delicioso lanche, que ninguém é de ferro.


Ah, e o livro que estamos lendo para debater na última quinta-feira deste mês: Sonata a Kreuzer, de León Tolstói. Uma novela que tem tudo a ver com o modo como muitos homens viam (e ainda vêm!) a mulher. Um drama conjugal com um final nada feliz, na voz de um personagem de Tolstói. 


domingo, 3 de maio de 2015

Chitas da semana de 27 a 30 de abril








         O Bordelando esteve animadíssimo na segunda, dia 27 de abril.  O lanche coletivo foi uma alegria só, com destaque para uma enorme taça de musse de gelatina multicolorida disputada pelas mais de 40 bordelandas que estiveram por lá.

       
       Muito entusiasmo com os preparativos da próxima exposição, marcada para 18 a 26 de setembro, que promete ser maior que a do ano passado.  O salão de festas vai ser transformado numa galeria e atenção especial será dedicada à abertura do evento. Esse é um momento de projeção para as bordadeiras e seus trabalhos caprichados, neste ano em que imperam as chitas estampadas. E também já se fala na próxima viagem. Muitos palpites no ar. Vai ser Goiás Velho? Vai ser a Diamantina? Pantanal? Quem sabe, Paris? Tem gente sonhando alto. Mas nada é impossível para essas mulheres.
 

        De concreto, na quinta dia 30, o Clube do Livro reuniu quem leu ou quis ler o bem-humorado Balzac e a costureirinha chinesa, de Dai Sijie. O livro, ambientado na China de Mao, foi adaptado para o cinema há alguns anos. É um tanto autobiográfico. O próprio Dai, em sua juventude, foi submetido a rigorosa reeducação sob o regime comunista chinês. Vale ler. Sempre.



Madalena